Após perder a mãe para o câncer de mama, potiguar cria projeto para recuperar autoestima de mulheres vítimas da doença no RN

Todos os anos, este mês é conhecido como o ‘Outubro Rosa’, período em que são reforçadas as ações de conscientização e a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Hoje trazemos uma matéria sobre o impacto que o câncer de mama teve na vida da potiguar Aline Costa, que perdeu a mãe para a doença, mas utilizou esse trauma para fazer a diferença na vida de diversas mulheres com a micropigmentação de aréolas.

A técnica permite fazer uma pigmentação nessa área, valorizando os seios. O pigmento é implantado na camada superficial da pele e devido ao peso molecular adequado, não atinge camadas mais profundas como acontece com uma tatuagem. O trabalho de micropigmentação da aréola enfoca as características naturais da área, principalmente em caso de mastectomia ou acidente, permitindo assim novos desenhos da aréola.