Auxílio emergencial pode ir até 2021 se Renda Brasil não sair antes

Assessores do presidente Jair Bolsonaro defendem a prorrogação do  auxílio emergencial  até os primeiros meses de 2021 se o novo Bolsa Família, chamado de Renda Brasil, não for aprovado a tempo de entrar em vigor no início do ano que vem. Essa ideia surgiu depois que  Bolsonaro rejeitou a proposta do Renda Brasil de Guedes.

De acordo com um assessor de Bolsonaro, a última versão para prorrogação do auxílio emergencial previa a continuidade do benefício  até dezembro deste ano, com um valor cortado, de R$ 600 para R$ 300.

“Agora, porém, caso não seja possível aprovar o  Renda Brasil até o final do ano com fontes seguras de financiamento, a proposta deve ser prorrogar o auxílio emergencial durante alguns meses do ano que vem”, disse um assessor do presidente ao blog do jornalista Valdo Cruz, do G1.

Bolsonaro queria aprovar  o Renda Brasil até o próximo mês de dezembro, para que entrasse em vigor já em janeiro de 2021. Mas por conta da falta de certeza sobre suas fontes de financiamento, o governo começa a pensar outras estratégias.

IG