Imunidade de pacientes que foram contaminados pela Covid-19 pode durar ao menos 6 meses, aponta estudo de Oxford

Um estudo publicado nesta sexta-feira (20) pela Universidade de Oxford informa que pacientes que foram contaminados pela Covid-19 são improváveis de contrair a doença novamente pelo período de até 6 meses. A pesquisa reuniu 12.180 profissionais da saúde que trabalharam no hospital da Universidade entre os meses de abril e novembro deste ano.

Os pesquisadores analisaram os anticorpos de profissionais que já haviam sido contaminados e continuaram realizado testagens diárias para verificar se o nível de imunidade continuava o mesmo, ao mesmo tempo em que comparavam-nos com aqueles que ainda não haviam sido infectados.

Do número total de profissionais testados, 1.246 que já haviam sido contaminados antes não voltaram a desenvolver casos sintomáticos da doença e apenas três foram reinfectados. Outros 89, que não tinham anticorpos, foram contaminados. Isso mostra, portanto que indivíduos são menos prováveis de terem a doença de novo se já tiverem testado positivo nos seis meses anteriores. Além disso, profissionais que não tinham anticorpos da doença também eram mais prováveis a serem infectados.

Ainda não se sabe, entretanto, a imunidade presente entre pacientes contaminados e quanto isso poderia prevenir um caso de reinfecção – considerados como raros.
“Sabemos por um estudo anterior que os níveis de anticorpos caem com o tempo, mas este último estudo mostra que há alguma imunidade naqueles que foram infectados. Continuaremos a seguir este coorte de equipe cuidadosamente para ver quanto tempo dura a proteção e se a infecção anterior afeta a gravidade da infecção se as pessoas forem contaminadas novamente.”, informou o Professor David Eyre, do Departamento de Saúde da População da Universidade de Oxford, em comunicado.

Apesar da importância da pesquisa, ainda não é possível fazer avaliações de imunidades a longo prazo, já que não há dados suficientes sobre as constatações.

Outro estudo desenvolvido por instituições americanas constatou que a imunidade da Covid-19 também poderia durar entre seis e oito meses.

CNN Brasil