Mais de 300 armas foram oficialmente roubadas no RN nos últimos 5 anos

As empresas de segurança privada no Rio Grande do Norte perderam 310 armas nos últimos cinco anos, segundo dados da agência Fiquem Sabendo obtidos através da Lei de Acesso à Informação (LAI) junto à Polícia Federal. Roubadas, perdidas ou extraviadas, essas armas acabam em “mãos erradas” e facilitam o trabalho dos bandidos em ações criminosas, roubos, tentativas de assaltos e até mesmo homicídios. O número de armas perdidas corresponde a 9% de todas as armas registradas na PF pelas empresas do RN.

De acordo com os dados da Agência Fiquem Sabendo, o ano em que mais armas foram extraviadas foi em 2017, com 117 armas em todo o ano. O número caiu para 103 em 2018 e vem apresentando redução desde então: 46 em 2019, 30 em 2020 e 14 em 2021 (até 24 de agosto).

Para a atual coordenadora do Sindicato Intermunicipal dos Vigilantes do RN, Dalcilene Cabral, os roubos das armas têm acontecido em situações específicas, principalmente em locais em que os vigilantes não possuem estrutura de trabalho, o que facilita a ação dos bandidos. Ela explica ainda que nem todos os estabelecimentos permitem o uso da arma, como shoppings, hospitais, UPAs, entre outros. Ela estima que apenas 30% das armas roubadas são recuperadas.

Leia a notícia completa aqui na Tribuna do Norte.