Número de mortes entre enfermeiros despenca no Brasil depois de vacinação contra a Covid-19

O número de mortes de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem por Covid-19 despencou no Brasil depois do início da vacinação.

O número, que vinha crescendo desde dezembro, atingiu pico em março, com 83 óbitos, e caiu para 24 no mês de abril —uma redução de 71%. Os profissionais estão incluídos nos grupos prioritários da vacinação.

A diminuição dos óbitos entre profissionais, segundo o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), pode ser creditada a diversos fatores, sendo o principal deles a imunização desses profissionais. “Ainda assim, as equipes continuam sobrecarregadas. Em especial com o advento da segunda onda, que foi mais agressiva”, diz Walkirio Costa Almeida, que integra o comitê de crise da entidade.

Ele também cita a maior disponibilidade de equipamentos de proteção e o maior conhecimento dos protocolos para o combate ao vírus como fatores que podem explicar a redução dos óbitos.

O Cofen registrou em abril 7 mortes na região Norte, 3 no Nordeste, 5 no Centro-Oeste, 8 no Sul e 1 no Sudeste. A queda segue o caminho inverso das mortes registradas no Brasil: abril foi o mês mais letal da epidemia, com 82.401 óbitos. A Covid-19 já matou 776 profissionais de enfermagem.

FOLHAPRESS