O Senado não é escola de aprendiz, nem refúgio para aposentado, diz Jácome

16

Firmeza e preparação. Assim foi a postura do Jácome (Podemos 199) durante o debate da BAND/Rádio 95 FM com os candidatos ao Senado, na nesta quarta-feira, 19. Em sua primeira participação, o candidato disse que o Senado não é escola para aprendiz, nem refúgio para aposentado. Para Jácome, a mais alta casa legislativa do país exige preparo, experiência, conhecimento e disposição de seus membros para aguentar uma rotina de muito trabalho. “Eu me preparei 30 anos para ser senador”, enfatizou o candidato.

Jácome disse também que é preciso fazer uma reforma política profunda no Brasil, com redução no número de partidos (hoje são 35) e acabar com prerrogativas como o foro privilegiado. Para ele, partidos e governos precisam ser mais transparentes e oportunizar a participação popular em suas decisões. “O cidadão brasileiro tem o direito de participar. Nos temas polêmicos, como o armamento civil, por exemplo, precisamos ouvir a população. Sou a favor de um plebiscito para que o povo decida se quer ou não o porte de arma”, adiantou.

Como único parlamentar do RN membro da comissão que discute a reforma tributária, Jácome destacou, durante o debate, que tem defendido questões centrais na modernização do estado brasileiro. Para ele, o Brasil precisa taxar as grandes fortunas e realizar isenções importantes como dos tributos na aquisição de bens de capital e o imposto de renda da pessoa física que ganha até cinco salários mínimos. “Esta é uma medida que estimula o consumo e faz a economia crescer. Quando a economia cresce o Brasil cresce também”, completou Jácome.