Prefeitura de São Francisco do Oeste realizou a entrega de EPIs (Equipamento de Proteção Individual) a todos os seus colaboradores

Na manhã desta segunda-feira (29/06) a Secretaria de Assistência Social realizou a entrega de EPIs (Equipamento de Proteção Individual) a todos os seus colaboradores. Foram entregues, luvas, máscaras de proteção, óculos, aventais e álcool.

Os equipamentos são essenciais para proteger nossos colaboradores e a população do risco de infecção pelo novo coronavírus.

PMSFO

COVID-19 NO RN: 235 pessoas morreram à espera de leitos

O portal G1-RN destaca em reportagem nesta segunda-feira(29) que em pouco mais de três meses, 235 pessoas morreram no Rio Grande do Norte enquanto aguardavam um leito para tratamento da Covid-19.  Ao longo de junho a doença avançou no estado e aumentou a demanda das unidades hospitalares na Região Metropolitana de Natal, no Oeste e no Seridó. Apenas no mês de junho foram registradas 689 mortes, 69% do total de óbitos desde o começo da pandemia. Vale destacar que neste momento o estado registra 994 mortes e tem 161 óbitos em investigação.

“Diversas unidades solicitantes de leitos de UTI fizeram esse cancelamento por motivo de óbitos. Não quer dizer que essas pessoas, se tivessem chegado a um leito tivessem sobrevivido, mas quer dizer que elas não tiveram a chance de chegar”, detalhou a promotora da saúde Iara Maria Pinheiro de Albuquerque.

Apesar do colapso na rede de saúde pública, a Sesap acredita que o estado já atingiu o pico da doença e prevê diminuição da fila por leitos. No dia 22 de junho, o sistema de regulação da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) chegou a receber 138 solicitações de leitos em um único dia.

Leia matéria completa aqui.

Médicos reclamam que Estado não paga honorários da média e alta complexidade (OGE)

Estado não paga honorários médicos da média e alta complexidade (OGE), deixando em aberto os meses de novembro, dezembro e março(2020).  Foram cirurgias ortopédicas, oncológicas, cardíacas e nada desse dinheiro.

Indignados, médicos dizem que compromisso firmado não vendo sendo cumprido. Foram pagos apenas janeiro e fevereiro.

“Tem dinheiro pra empresa de fora adiantado, mas não tem pra pagar serviço prestado”, reclamam médicos da Coopmed em contato com o Blog.

Governo do RN atinge a marca de 415 leitos para tratamento de Covid 19 na rede pública do Estado

O Governo do RN abriu ao todo 415 leitos na rede pública estadual para pacientes em tratamento contra a Covid-19. Foram abertos em Natal 33 leitos críticos municipais com auxílio do Estado, que encaminhou 11 respiradores, 30 bombas de infusão e 40 monitores. Foram 214 críticos e 201 leitos clínicos/estabilização.

Dos 247 leitos críticos disponíveis (214 só do Estado e 33 da parceria Estado e município), 32 leitos são específicos para pacientes de Covid com algum tipo de necessidade especial (materno, pediátrico, ortopédico).

Confira a localização dos leitos.

LEITOS CRÍTICOS : 214

OESTE – 57 leitos críticos
Hospital Tarcísio Maia (geral): 20 leitos
Hospital São Luiz (geral): 29 leitos
Apamim (materno): 5 leitos
Wilson Rosado (pediátrico): 3 leitos

MATO GRANDE – 4 críticos
Hospital Municipal de Guamaré: 4 leitos

ALTO OESTE – 11 críticos
Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade (Pau dos Ferros) – geral: 11 leitos

SERIDÓ – 29 críticos
Hospital Regional do Seridó (Caicó) – geral: 29 leitos

REGIÃO METROPOLITANA – 113 críticos estaduais | 137 (Estado + 33 leitos municipais de Natal abertos com apoio do Estado)
Giselda Trigueiro (geral): 25 leitos
Hospital da PM (geral): 20 leitos
Luiz Antonio: 20 leitos
Memorial (geral): 6 leitos
Rio Grande (geral): 5 leitos
João Machado: 8 leitos
Santa Catarina (obstetrícia): 5 leitos
Maria Alice (pediátrico): 7 leitos
Hospital Rui Pereira (vascular): 5 leitos
Deoclécio Marques (ortopedia): 7 leitos
Belarmina Monte: 5 leitos – Enviamos respiradores

Gestão municipal de Natal (leitos abertos com auxílio do Estado que encaminhou 11 respiradores, 30 bombas de infusão e 40 monitores)
Hospital Municipal de Natal: 17 leitos
Hospital de Campanha de Natal: 16 leitos

TOTAL: 214 leitos críticos só do Estado.

São 247 leitos críticos disponíveis ao somarmos os leitos do município de Natal que foram abertos com auxílio de equipamentos do Governo do RN.

LEITOS CLÍNICOS E ESTABILIZAÇÃO: 201

1ª região – 11 leitos clínicos
Lindolfo – 7 clínicos e 4 leitos de estabilização

2ª região – 67
Rafael Fernandes – 14 leitos (2 estabilização + 12 clínicos)
Apodi – 8 leitos (2 estabilização + 6 clínicos)
Caraubas – 3 leitos (1 estabilização + 2 clínicos)
São Luiz – 30 leitos
Apamim – 12 leitos

3ª região – 8
Regional de João Câmara – 8 leitos (2 de estabilização + 6 clínicos)

4ª região – 16
Caicó – 15 leitos
Currais – 1 leitos

5ª região – 6
SPP – 6 leitos (2 estabilização + 4 clínicos)

6ª região – 10
Cleodon – 10 leitos clínicos

7ª região – 77
Maria Alice – 22 clínicos + 2 estabilização
Santa Catarina – 7 clínicos
Rio Grande – 10 leitos clínicos
Liga – 20 clínicos
Rui Pereira – 5 clínicos
João Machado – 10 clínicos + 1 estabilização

8ª região – 6
Assú – 4 clínicos + 2 estabilização

TOTAL: 201

TOTAL DO ESTADO: 415 leitos, sendo 214 leitos críticos e 201 leitos clínicos/estabilização.

Novo vírus da gripe com “potencial pandêmico” e que tem porcos como hospedeiros é encontrado na China

Uma nova cepa do vírus da gripe com potencial de causar uma pandemia foi identificada na China, segundo um novo estudo.

Essa linhagem surgiu recentemente e tem os porcos como hospedeiros, mas pode infectar seres humanos, dizem os autores da pesquisa.

Os cientistas estão preocupados com o fato de que ela poderia sofrer uma mutação ainda maior e se espalhar facilmente de pessoa para pessoa e desencadear assim um surto global.

Eles dizem que a cepa tem “todas as características” de ser altamente adaptável para infectar seres humanos e precisa ser monitorada de perto.

Como se trata de uma nova linhagem do vírus influenza, que causa a gripe, as pessoas podem ter pouca ou nenhuma imunidade a ela.

Ameaça pandêmica

Uma nova cepa do influenza está entre as principais ameaças que os especialistas estão monitorando, mesmo enquanto o mundo ainda tenta acabar com a atual pandemia do novo coronavírus.

A última gripe pandêmica que o mundo enfrentou, o surto de gripe suína de 2009 que começou no México, foi menos mortal do que se temia inicialmente, principalmente porque muitas pessoas mais velhas tinham alguma imunidade a ela, provavelmente por causa de sua semelhança com outros vírus da gripe que circulavam anos antes.

O vírus da gripe suína, chamado A/H1N1pdm09, agora é combatido pela vacina contra a gripe que é aplicada anualmente para garantir que as pessoas estejam protegidas.

A nova cepa de gripe identificada na China é semelhante à da gripe suína de 2009, mas com algumas mudanças.

Até o momento, não representou uma grande ameaça, mas o professor Kin-Chow Chang e colegas que o estudam dizem que devemos ficar de olho nele.

Qual é o perigo?

O vírus, que os pesquisadores chamam de G4 EA H1N1, pode crescer e se multiplicar nas células que revestem as vias aéreas humanas.

Eles descobriram evidências de infecção recente em pessoas que trabalhavam em matadouros e na indústria suína na China.

As vacinas contra a gripe atuais não parecem proteger contra isso, embora possam ser adaptadas para isso, se necessário.

Kin-Chow Chang, que trabalha na Universidade de Nottingham, no Reino Unido, disse à BBC: “No momento estamos distraídos com o coronavírus e com razão. Mas não devemos perder de vista novos vírus potencialmente perigosos”.

Embora esse novo vírus não seja um problema imediato, ele diz: “Não devemos ignorá-lo”.

Os cientistas escrevem na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências britânica, que medidas para controlar o vírus em porcos e monitorar de perto as populações trabalhadoras devem ser rapidamente implementadas.

O professor James Wood, chefe do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade de Cambridge, disse que o trabalho “vem como um lembrete salutar” de que estamos constantemente sob o risco do surgimento de patógenos e que animais de criação, com os quais os seres humanos têm maior contato do que com a vida selvagem, podem ser uma fonte de vírus pandêmicos.

R7 com BBC Brasil

Veja como será a reabertura das atividades econômicas no RN na Fase 1

O Plano de retomada gradual da economia no RN é composto por três fases e terá início na quarta-feira (1º).

Para cada fase de abertura está previsto um bloco de atividades a serem progressivamente liberadas.

A Fase 1 está dividida em 2 (duas) frações, nas quais alguns setores prioritários da atividade econômica retomarão, gradualmente, o funcionamento, mediante o cumprimento de protocolos sanitários.

Estas são as atividades que poderão ser retomadas a partir do dia 1º.

I – atividades de informação, comunicação, agências de publicidade, design e afins;
II – salões de beleza, barbearias e afins;
III – estabelecimentos com até 300 m2 e com “porta para a rua”,
dos seguintes ramos:
a) papelarias, bancas de revistas;
b) comércio de produtos de climatização;
c) comércio de bicicletas e acessórios;
d) comércio de vestuário;
e) armarinho.

Fração 2: No 8º dia do cronograma está previsto o retorno das atividades abaixo:

I – serviços de alimentação de até 300m2 (restaurantes e food trucks);
II – estabelecimentos com até 600 m2 e com “porta para a rua”, dos seguintes ramos:
a) comércio de móveis, eletrodomésticos e colchões;
b) lojas de departamento e magazines não localizados dentro de
shopping centers ou centros comerciais;
c) agências de turismo;
d) comércio de calçados;
e) comércio de brinquedos, artigos esportivos e de caça e pesca;
f) comércio de instrumentos musicais e acessórios; de equipamentos de áudio e vídeo; de eletrônicos/informática; de equipamentos de telefonia e comunicação;
g) joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanatos;
h) comércio de cosméticos e perfumaria.

Protocolos sanitários

A higienização dos locais, disponibilização de álcool em gel 70%, uso de máscaras por clientes e funcionários, além do controle de acesso e número de pessoas nos estabelecimentos estão entres as determinações.

O Governo também explica que “verificada tendência de crescimento dos indicadores após a liberação das atividades, poderão ser adotados, a qualquer tempo, se necessário, o restabelecimento ou o adiamento das fases, bem como o recrudescimento das medidas”.

Brasil registra 757.462 pessoas curadas da Covid-19

O Ministério da Saúde registrou nesta segunda-feira (29) o total de 757.462 pessoas curadas do coronavírus em todo o Brasil.

Nas últimas 24 horas o ministério contabilizou 23.614 pacientes recuperados do coronavírus.

O número é superior à quantidade de casos ativos no país (552.419), que são pacientes em acompanhamento médico.

Atualmente, o registro dos curados já representa mais da metade do total de casos acumulados (55,4%).

Homem morre após colidir com veículo na RN 117 na zona rural de Alexandria/RN

Um homem de 42 anos morreu por volta de 18h30 deste domingo(28) vítima de acidente de trânsito na Rodovia Estadual (RN 117) próximo à entrada do sítio Casteliano, na zona rural do município de Alexandria/RN.
De acordo com informações repassadas ao Blog O Grito do Alto Oeste, ele dirigia uma motocicleta Honda/ NXR160 Bros ESDD, ano 2016, de cor vermelha pela rodovia no sentido a Alexandria e colidiu frontalmente com um veículo gol que seguia na direção contrária, com o impacto foi arremessado a uma distância considerada.
A vítima foi identificada pelo nome de Gustavo Henrique Costa da Silva, que não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no local.
A PM esteve compareceu ao local do sinistro realizando o isolamento até a chegada de uma equipe do ITEP-RN.
Um Inquérito Policial será instaurado pela Polícia civil para apurar as causas e circunstanciais como ocorreu o sinistro. O nome do condutor do veículo não foi divulgado pela polícia.
O Grito do Alto Oeste

MPF e TCU querem alerta a gestores diante de suspeita em compra contra covid e melhoras no sistema de licitações

Em meio a uma escalada de ações contra corrupção envolvendo os gastos que superam os R$ 130 bilhões em saúde em época de pandemia de coronavírus, o Ministério Público Federal e o Ministério Público no Tribunal de Contas da União (TCU) cobraram o governo federal a melhorar o sistema de compras e licitações.

O chamado “Comprasnet” deverá passar por ajustes a partir dos próximos 30 dias, como incluir alertas eletrônicos dos órgãos de controle para os gestores de saúde “caso seja identificado algum indício de irregularidade ou risco de ineficiência na aplicação” do dinheiro público.

A exigência está numa recomendação do MPF e do MP do TCU a dois órgãos do Ministério da Economia, as secretarias do Tesouro Nacional e de Desburocratização. A pasta é comandada pelo ministro Paulo Guedes, do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Os procuradores dizem que a medida é para evitar ações judiciais. O documento foi protocolado na última terça-feira (23). O Ministério da Economia não prestou esclarecimentos.

Operações contra desvios

Nos últimos 30 dias, o país viu os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e do Pará, Hélder Barbalho (MDB), serem alvos de mandados de busca e apreensão em operações da Polícia Federal sobre despesas com a pandemia. Mas há investigações em outros locais do país, como Amazonas, Amapá, Tocantins e Pernambuco.

As ações já foram apelidadas de “covidão”, termo cunhado pela deputada federal Carla Zambelli, em maio, ao mencionar em entrevista a possibilidade de investigação e operações contra governadores. O neologismo é inspirado em escândalos de corrupção mensalão e o petrolão. Nos corredores da PF, ouve-se mais “corona jato”, numa referência à Lava Jato.

No governo federal, o Tribunal de Contas da União (TCU) investiga um contrato de telemedicina de R$ 144 milhões fechado pelo Ministério da Saúde com uma empresa que cobra R$ 21 por consulta, mais que os R$ 12 cobrados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em atendimentos presenciais. A compra foi feita sem licitação.

Os pedidos do MPF e TCU

– Prefeituras, estados e até organizações sociais devem ser obrigadas pelo governo federal a usar o Comprasnet

– O Comprasnet deve ser melhorado melhorado para que gestores sejam alertados, eletronicamente, pelo Ministério Público e pelo TCU quando houver indícios de sobrepreço nas compras

– O sistema deve ter ferramentas de comparação de preços. Os investigadores falam em acrescentar dados das Receita Federal e Estadual

– Os códigos de transferências de dinheiro da saúde e do coronavírus devem ser padronizados para facilitar o rastreamento das verbas.

Dados da Receita deveriam ser usados para comparar preços

A procuradora Sílvia Pontes, que assina a recomendação junto com Júlio Marcelo Oliveira, disse que o objetivo é que as medidas sejam tomadas para se evitar a judicialização.

Eles querem mais transparência nos gastos com o enfrentamento da pandemia de coronavírus e obrigatoriedade de estados, prefeituras e organizações sociais de usar o sistema Comprasnet, mantido pelo governo federal. Sílvia afirmou que alguns estados, como Pernambuco, nem sequer estão usando o sistema nas dispensas de licitações.

Entre as melhorias que ela diz serem necessárias, está o uso de dados da Receita Federal e das Receitas Estaduais para comparar preços de equipamentos, como respiradores, máscaras e luvas. Assim, seria possível verificar os custos, cobrados de hospitais públicos e privados, mesmo depois de a a pandemia de coronavírus aumentar os preços no mundo todo.

“É importante o acesso à Receita Federal porque você consegue ver a composição dos preços”, disse a procuradora, que já participou de três operações da Polícia Federal ligadas a corrupção e desvio de dinheiro com recursos do coronavírus.

Se você comprou um produto e vê o custo, mais o ágio, que a situação excepcional tem, e ainda assim você que há um escabroso e algo totalmente desproporcional, é indício de sobrepreço”, completa.

A presidente da Associação da Auditoria de Controle Externo do Tribunal de Contas da União (Aud-TCU), Lucieni Pereira, participou da elaboração da recomendação. Para ela, o clima de tendência mundial aumento de preços exige que se avalie com mais informações se houve superfaturamento ou não. “Sempre aparecem os oportunistas”, lembra.

A recomendação ainda pede que o Ministério da Economia coloque códigos padronizados para a fonte de recursos, a fim de melhor rastrear o dinheiro quando ele sai de Brasília e chega até os estados, prefeituras, organizações sociais e fornecedores.

UOL

Covid-19: testes preliminares da vacina de Oxford chegam a 90% de proteção

O governo brasileiro anunciou, neste sábado (27), uma parceria com o Reino Unido para a testagem e produção de uma vacina contra a Covid-19, que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca. O princípio ativo será transferido para o Brasil, junto com as demais tecnologias, e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) será a responsável por embalar em doses que serão ofertadas à população.

Em entrevista para a CNN, o infectologista e pesquisador da Fiocruz, Júlio Croda, ex-chefe do departamento de imunização e doenças transmissíveis do Ministério da Saúde na gestão de Luiz Henrique Mandetta, fez uma análise sobre as diferenças entre as vacinas do Instituto Butantan e da Universidade Oxford. Em suma, ele explica que a plataforma de produção é o que as difere, e destaca a importância de haver mais de um tipo de testagem.

“É essencial, no Brasil, que a gente tenha opções. É muito difícil nesse momento a gente fazer uma escolha porque os estudos de fase três ainda não estão concluídos. É importante que exista iniciativa tanto do governo federal, como do governo de São Paulo em transferência de tecnologia e em produção local da vacina. No final, se as duas vacinas forem eficientes, nós teremos dois produtos para ofertar para a população em um tempo mais curto”.

Segundo o médico, o estudo mais avançado é o da vacina de Oxford. “Já está em estudo de fase três, os pacientes já estão sendo recrutados, em São Paulo, pela rede D’Or. Então, a gente espera que os resultados, se forem positivos, estas 30 milhões de doses já estejam disponíveis entre dezembro e janeiro”. Pacientes do grupo de risco e profissionais de saúde serão priorizados na primeira etapa de vacinação.

De acordo com o infectologista, os testes preliminares da vacina de Oxford já foram divulgados e demonstram uma eficácia de 90% na proteção contra a Covid-19. No entanto, ainda é preciso observar por quanto essa imunidade protetora individual irá perdurar. “O tempo da ciência não é o tempo da necessidade em termos de saúde pública. Temos que aguardar os resultados em relação ao acompanhamento, principalmente da imunidade destes pacientes que foram recrutados e que serão recrutados no futuro aqui no Brasil”.

CNN Brasil

Caminhão cai em buraco em estrada que liga Touros a João Câmara

Na manhã desde domingo (28), um caminhão caiu em um enorme buraco em estrada que liga Touros a João Câmara, o que fez com que os pneus do lado esquerdo mal tocassem a pista.

O Acidente ocorreu nas proximidades da comunidade Assunção, próxima ao município de João Câmara.

O trecho da rodovia está repleto de buracos, difícil de transitar.

RN registra 48 novos casos de coronavírus e mais 28 óbitos; Total de mortes chega a 937 e infectados são 24.301

O Rio Grande do Norte registrou nas últimas 24h, 48 novos casos de coronavírus e 28 óbitos. Agora, no total são 24.301 infectados e 937 óbitos provocados pela Covid-19.

O número de suspeitos chega a 31.928, casos descartados são 37.256 e o número de pacientes recuperados é de 2.904.

Homem morre após acidente que carro em alta velocidade se parte ao meio na BR-101, em SC

Imagens: reprodução

Um homem morreu em um acidente que foi registrado no começo da tarde deste domingo (28) na BR-101, em Biguaçu, Santa Catarina.

Com a força do acidente, um Mercedes Benz AMG GT partiu ao meio. É possível ver o carro dividido em dois na Marginal da rodovia. A ocorrência foi registrada por volta das 12h30min, ainda não há informações sobre a dinâmica do acidente.

O veículo tem placas de Criciúma e está avaliado em quase R$ 1 milhão.

*Com informações de Visor Notícias

Coronavírus: Brasil registra 552 óbitos e 30.476 casos nas últimas 24h, total de mortes chega a 57.622 e infectados são 1.344.143

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil neste domingo (28):

– Registro de 552 óbitos nas últimas 24h, totalizando 57.622 mortes;

– Foram 30.476 novos casos de coronavírus registrados, no total 1.344.143 pessoas já foram infectadas.

– O número total de recuperados do coronavírus é 733.848, são mais 17.943 pacientes curados em relação ao boletim de ontem.

Brasil registra 733.848 pessoas recuperadas do coronavírus

O Ministério da Saúde registrou neste domingo (28) o total de 733.848 pessoas curadas do coronavírus em todo o Brasil.

Foram registrados 17.943 pacientes curados a mais em relação ao boletim divulgado no sábado (27). O número é superior à quantidade de casos ativos no país (552.673), que são pacientes em acompanhamento médico.

Atualmente, o registro dos curados já representa mais da metade do total de casos acumulados (54,6%).

Hospital Regional de Pau dos Ferros informa mais 5 leitos totalizando 11 leitos críticos de Covid na unidade

Boa noite, meus amigos e minhas amigas.

Quero parabenizar a direção e equipe do HCCA, em nome de Raimundo Farias⁩, pelo zelo, compromisso e dedicação no trabalho.

Amanhã, o Hospital Regional Dr. Cleodon Carlos De Andrade recebe 5 novos leitos de UTI, totalizando 11 leitos críticos de Covid na unidade.

Além de 6 novos leitos clínicos, também para o enfrentamento ao coronavírus, somando-se aos 4 pré-existentes.

Ou seja, a partir de amanhã, o Hospital de Pau dos Ferros mais do que dobra sua capacidade para atendimento de Covid com a chegada dos 11 novos leitos já com fluxos organizados, protocolos montados e equipe sendo treinada.

De encher os olhos. Esse é o SUS que dá certo!

Esses tempos difíceis vão passar. Enquanto isso, faça a sua parte. Respeite o distanciamento e o isolamento social.

Maioria dos vereadores de São Francisco do Oeste aprovam projeto enviado pelo executivo para aumentar o salário de prefeito, vice e secretários iniciando em 2022

A maioria dos vereadores votaram e aprovaram na sessão desta sexta-feira 26 um projeto enviado pelo executivo para aumentar o subsídio do prefeito, vice e secretários iniciando em 2022, somente o vereador Valcimar Ferreira votou contra e a vereadora Aurineide de Freitas (Preta) se absteve.

Veja o projeto.

Execuções de precatórias e RPV’s contra a Prefeitura de São Francisco do Oeste somam mais de 600 mil reais

O município de São Francisco do Oeste vem acumulando, nos últimos anos, dívidas referentes a verbas salariais não pagas no mandato anterior, cobradas judicialmente por servidores efetivos e ex servidores contratados e comissionados do município.

Segundo relatório emitido pela Procuradoria Geral do Município, o montante atual devido é de R$ 627.731,72 (seiscentos e vinte e sete mil e setecentos e trinta e um reais e setenta e dois centavos) em precatórios e requisições de pequeno valor – RPV’s provenientes das novas execuções judiciais contra a Fazenda Pública Municipal.

Precatórios e RPV’s são instrumentos utilizados pelo Poder Judiciário para requisitar aos entes públicos o pagamento de dívidas que surgem a partir de condenações judiciais.

O valor devido, que soma mais de meio milhão de reais, refere-se à verbas salariais não pagas, especialmente ao atraso do 13º salário do exercício de 2016, o que gerou uma enxurrada de ações judiciais em desfavor do ente municipal. Essas cobranças judiciais ainda são acrescidas de correção monetária, juros de mora e honorários advocatícios, o que torna a dívida municipal ainda maior.

Desde 2019, a atual gestão já soma quase 100 mil reais em BLOQUEIOS JUDICIAIS referente à essas novas execuções judiciárias.

O atual Prefeito ressaltou que, caso essas verbas tivessem sido efetivamente pagas pela administração anterior, o montante devido seria hoje utilizado na realização de ações e obras em favor da população, e que infelizmente todos nós perdemos muito com este tipo de negligência.

CNN diz que Fabrício Queiroz negocia delação premiada

O Ministério Público do Rio de Janeiro e a defesa de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, atualmente senador, estão negociando um acordo de delação premiada.

De acordo com fontes envolvidas na investigação, a maior preocupação de Queiroz é com a família dele. Ele quer garantias de proteções no processo para a mulher, Márcia Aguiar de Oliveira, que está foragida, e para as filhas, Nathalia Mello e Evelyn Mello, todas investigadas no “esquema da rachadinha”, prática em que os funcionários dos gabinetes devolvem parte de seus pagamentos a políticos e assessores. Queiroz também pede para que cumpra prisão domiciliar.

A negociação está arrastada porque os promotores querem garantias que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro tenha informações novas para apresentar e não apenas relatar fatos que a investigação já conseguiu remontar. Queiroz está bastante preocupado que as filhas venham a ser presas e que Márcia seja localizada. Ela está foragida desde o dia 18 de junho e os agentes já fizeram buscas em 12 endereços diferentes para tentar encontrá-la.

Márcia, Nathalia e Evelyn, assim como o pai, trabalharam no gabinete de Flávio na Alerj. Evelyn assumiu a vaga da irmã depois que Nathalia foi exonerada do gabinete.

De acordo com o MP, a maior parte do dinheiro recebido pelas três foi depositado na mesma conta corrente que Queiroz usava para gerenciar as rachadinhas. Nathalia foi funcionária de Flávio Bolsonaro entre 2007 e 2016. Menos de uma semana depois de ser exonerada, em dezembro de 2016, foi nomeada para o cargo de secretária parlamentar de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, em Brasília. Para os promotores, a eventual prisão da mulher e o envolvimento das filhas no processo são fundamentais para pressionar Queiroz a colaborar. Vale lembrar que importantes delações foram negociadas ao longo da Operação Lava Jato após as prisões de familiares dos operadores do esquema.

Enquanto a negociação se arrasta, os advogados de Queiroz e Márcia aguardam os julgamentos dos habeas corpus dos dois. O pedido do HC de Queiroz já foi rejeitado no Plantão Judiciário no último sábado, mas sem análise do mérito, o que deve acontecer nos próximos dias. Na sequência, será a apreciação do pedido de soltura de Márcia.

Ontem, a terceira Câmara Cível do TJ-RJ decidiu que a primeira instância não tem competência para analisar casos relativos a Flávio Bolsonaro porque, na ocasião da denúncia, em 2018, ele era deputado estadual. Em outra votação da mesma sessão, a câmara, formada por três desembargadores, não suspendeu a validade dos atos do juiz Flávio Itabaiana. Com isso, os pedidos de prisão provisória de Queiroz e Márcia seguem válidos, assim como as provas coletadas durante a investigação.

CNN Brasil

OMS diz que vacina de Oxford testada no Brasil é a melhor candidata contra Covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira que a vacina ChAdOx1 nCoV-19, produzida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca, é a “mais avançada” do mundo “em termos de desenvolvimento” e lidera a corrida por um imunizante contra a Covid-19. A fórmula está sendo testada no Brasil e na África do Sul após testes bem sucedidos no Reino Unido.

As declarações foram feitas pela cientista-chefe da entidade, Soumya Swaminathan. Ela ponderou que a pesquisa da americana Moderna também “não fica muito atrás” dos trabalhos da AstraZeneca. Mais de 200 vacinas candidatas contra o coronavírus Sars-CoV-2 são testadas ao redor do mundo, das quais 15 já entraram fases clínicas. A OMS afirmou, ainda, que está em contasto com diversas fabricantes chinesas para acompanhar o desenvolvimento de seus trabalhos.

Swaminathan pediu ainda que seja considerada uma colaboração entre os testes com potenciais vacinas contra a Covid-19, similar aos ensaios solidários que a OMS tem feito com possíveis medicamentos para tratar a doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

Segundo a entidade, sediada em Genebra, de US$ 31,3 bilhões (cerca de R$ 171 bilhões) serão necessários para desenvolver testes, vacinas e tratamentos para a Covid-19.

Espera-se que os fundos permitam o desenvolvimento e distribuição de 500 milhões de testes e 245 milhões de tratamentos em países de baixa e média renda até meados de 2021 e 2 bilhões de doses de vacina em todo o mundo, metade dos quais em países de baixa e média renda até o final de 2021.

O braço das Nações Unidas para a saúde trabalha junto a uma grande coalizão de organizações para o desenvolvimento, financiamento e distribuição de medicamentos chamada “ACT-Accelerator Hub”. No entanto, a OMS afirma que apenas US$ 3,4 bilhões (R$ 18,6 bilhões) foram assegurados. Para tanto, ainda faltariam US$ 27,9 bilhões (R$ 152,8 bilhões) adicionais, dos quais US$ 13,7 bilhões (R$ 75 bilhões) são urgentes “para cobrir necessidades imediatas”, afirmou a OMS.

— É um investimento que vale a pena fazer. Se não nos mobilizarmos agora, os custos humanos e as repercussões econômicas vão piorar — disse Ngozi Okonjo-Iweala, enviado especial para a iniciativa internacional, durante uma conferência de imprensa virtual. — Embora esses números pareçam importantes, não são quando pensamos na alternativa. Se gastarmos bilhões agora, podemos evitar gastar milhares de bilhões depois. Precisamos agir agora e juntos.

O diretor-executivo da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, reforçou a importância de acelerar os procedimentos para frear a pandemia.

— Está claro que, para controlar a Covid-19 e salvar vidas, precisamos de vacinas, diagnósticos e terapias eficazes, em volumes sem precedentes e em uma velocidade sem precedentes — declarou Adhanom. — E está claro que, como todos podem ser afetados pela Covid-19, todos devem ter acesso a todas as ferramentas de prevenção, detecção e tratamento, e não apenas àqueles que podem pagar por elas.

Os testes em voluntários brasileiros da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, contra a Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus, tiveram início na semana passada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A informação foi divulgada na noite da última segunda-feira pela Fundação Lemann, que financia o projeto, em nota.

Os testes da vacina ChAdOx1 nCoV-19 no Brasil foram anunciados no início do mês e deverão contar, de acordo com a Unifesp, com 2 mil voluntários em São Paulo, e com outros mil no Rio de Janeiro, onde serão realizados pela Rede D’Or. Os resultados devem ser concluídos até setembro, segundo informou a AstraZeneca, farmacêutica que conduz o desenvolvimento da vacina em parceria com Oxford, no início deste mês.

“No último final de semana (20 e 21 de junho), a Fundação Lemann teve a oportunidade de celebrar com os parceiros envolvidos e especialistas responsáveis, o início dos testes em São Paulo para a vacina ChAdOx1 nCoV-19, liderada globalmente pela Universidade de Oxford”, informou a Fundação Lemann, do bilionário empresário Jorge Paulo Lemann. Ontem, a coluna do jornalista Lauro Jardim, do GLOBO, publicou que a entidade pretende construir uma fábrica para a vacina de Covid-19 no país.

Outra vacina contra a Covid-19, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, deverá começar a ser testada no Brasil no mês que vem em parceria com o Instituto Butantan, vinculado ao governo do Estado de São Paulo. Este teste, de acordo com o instituto, será financiado pelo governo paulista e deverá contar com 9 mil voluntários. Caso a vacina seja bem-sucedida, o acordo prevê a possibilidade ser produzida localmente pelo Butantan.

Dose dupla

A AstraZeneca informou na última terça-feira que testes realizados no Reino Unido indicaram que a aplicação de uma dose dupla da vacina gerou uma resposta imunológica melhor em porcos. Os resultados foram divulgados pelo Instituto Pirbright (Reino Unido). A descoberta sugere que a abordagem pode ser mais efetiva na imunização contra o coronavírus Sars-CoV-2, mas a organização britânica ponderou que ainda não se sabe o nível de resposta imunológica que será exigido para proteger seres humanos.

— Os resultados parecem encorajadores ao indicarem que duas injeções potencializam as respostas dos anticorpos capazes de neutralizar o vírus. Mas é a resposta em humanos que importa — afirmou Bryan Charleston, diretor do Instituto Pirbright.

O Globo