PM registra 266 ocorrências por dia relacionadas ao coronavírus no RN

AGORA RN Maio possui média diária de 300 casos, 20% a mais das ocorrências registradas em abril: 250 casos/dia

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PM/RN) registra média diária de 266 ocorrências relacionadas ao descumprimento das medidas de isolamento social determinadas no decreto estadual em virtude da pandemia causada pela Covid-19 até a primeira quinzena de maio. Ao todo, 12 mil foram registradas desde abril.

O coronel da PM Eduardo Franco revela que em abril foram 7.500 episódios envolvendo o novo coronavírus, enquanto de 1º à 15 de maio, 4.500 ocorrências foram registradas. “Esses números são divididos em dois perfis: o pai de família, que precisa sair de casa para garantir o alimento, e as pessoas que desejam fazer festa, apesar do cenário que vivemos”, explica.

Apesar do balanço de maio não está concluído, o mês vigente registra média de 300 casos por dia, 20% a mais das ocorrências diárias registradas em abril: 250 casos. Até esta segunda-feira (25), a doença matou 212 pessoas e contaminou 4.774 indivíduos no RN.

A PM pontua que as ocorrências registradas são, na verdade, orientações direcionadas aos comerciantes que não compõe os critérios de serviço essencial. “Na Força Tarefa com Ações de Orientações e enfrentamento à Covid-19, conversamos com os envolvidos e explicamos a importância de fechar o comércio para diminuir o contágio pelo vírus”, detalha.

Uma das ações aconteceu na manhã desta segunda (25), em Mossoró, e teve a parceria da Polícia Civil (PC), Secretaria de Segurança do Município, Secretaria de Saúde, Secretaria do Meio Ambiente, Vigilância Sanitária e Procon.

Na noite deste domingo (24), a Polícia Militar prendeu o dono de um bar em Natal após ele se negar a fechamento o estabelecimento, mesmo com a orientação. “Chegamos no local, falamos com as pessoas que estavam bebendo e elas foram embora. Mas o dono do bar disse que o comércio era dele e que não iria fechar. Diante deste cenário, tivemos que prende-lo”, relembra.

O militar esclarece que, como a a Polícia Militar é acatada, raramente é necessário enquadrar os envolvidos em alguma infração.

O coronel Franco explica, ainda, que o balanço não contempla o número de infrações e aglomerações, pois “o estado é muito grande e não tem como monitorar todos os cenários de risco, como as festas que acontecem dentro de condomínio. Se a pessoa decidir fazer uma festa dentro do apartamento, a gente só vai ter como atuar, se receber a denúncia”.

A PM reforça que em casos de aglomerações e abertura de comércio não essencial, a população pode denunciar – anonimamente, se quiser – pelo 190. A ligação é gratuita.