Prof. Valderi Idalino emite NOTA de REPÚDIO: Uso do DINHEIRO PÚBLICO na construção de Santuários é inconstitucional

27

(Prof. Valderi Idalino Silva Tavares)

O Estado brasileiro é laico, não pode ser utilizado como instrumento de proselitismo religioso como forma de angariar votos e se aproveitar da boa-fé dos munícipes. As religiões já têm seus pastores e guias espirituais para regê-las. Operadores do Direito, gestores públicos, cidadãos, todos, devem respeitar a Força Normativa da Constituição de 1988, e quem tem interesse de deslegitimar a Constituição é bandido.

Nesta luta, podem ter certeza que NÓS iremos até o STF e, por fim, a urna, onde faremos justiça. Não recuaremos, jamais. A relação entre Estado e Religião tem-se demonstrado socialmente danosa, conforme aduz a História. Na cidade de Pau dos Ferros, no silêncio da angustia, pessoas estão sendo atacadas por epidemias e morrendo, outras são profundamente humilhadas às portas da Secretaria de Saúde por suplicarem socorro e terem seus direitos constitucionais negados.

A Educação pública não é prioridade e nem muito menos o Meio Ambiente, trabalhadores têm seus direitos subtraídos e não podem reagir, sob pena de serem rotulados de jagunços, delinquentes, malfeitores etc., e nossas crianças sofrem vítimas de um verdadeiro estelionato educacional. Para o Santuário são 4,5 milhões de reais, os quais poderiam estar sendo usados na geração de emprego e distribuição de renda, há mais de 15 anos que o nosso saneamento básico é maquiado, nossas vias precisam ser duplicadas e asfaltadas, mas nem mesmo água há em nossas torneiras, no mesmo instante em que o homem do campo é desassistido etc.

Diante disso, quando os problemas de ordem pública forem sanados e o dinheiro estiver sobrando, então nós mesmos poderemos defender a construção de Santuários com dinheiro púbico, desde que haja previsão constitucional e legal, as quais por hora inexistem. Não há, podem ter certeza, santuário mais sagrado, neste mundo, do que o Ser Humano e este está morrendo à míngua em Pau dos Ferros.