Proprietários de queijeiras do estado alegam perseguição do Conselho Regional de Medicina Veterinária do RN

Pequenos produtores de queijo do interior do Rio Grande do Norte alegam que estão sendo perseguidos pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do RN com a aplicação de multas. Eles se queixam da falta de um prazo viável para providenciarem a devida regularização e que a aplicação destas multas acabam atrapalhando o processo que requer investimento. Em casos mais delicados, tais ações do Conselho Regional pode provocar inclusive o fechamento da queijeira.

Uma das exigências do CRMV/RN é a contratação de um veterinário como responsável técnico pelas queijeiras. Segundo os pequenos produtores, a própria legislação que trata do assunto diz que o responsável não precisa ser obrigatoriamente um veterinário, pode ser um biólogo, um engenheiro de alimentos ou engenheiro agrônomo, por exemplo.

A lei estadual sobre assunto diz que a fiscalização é de responsabilidade do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN. Além disso, o responsável técnico seria o próprio queijeiro que mais do que ninguém está disposto a oferecer um produto de qualidade e com a garantia e a segurança alimentar para o consumidor.