Suspeito de vender drogas pela cotação do dólar e enviar para o Ceará é preso em Brasília

G1CE - Homem é suspeito de vender drogas por aplicativo no Distrito Federal e de enviar remessas postais de entorpecentes para traficantes do Ceará declarando como petisco para cães.

Um homem de 29 anos foi preso em flagrante na quarta-feira (4) suspeito de comercializar drogas de acordo com a cotação do dólar em Brasília, no Distrito Federal, após investigações da Polícia Civil do Ceará e de Brasília. O homem é suspeito de vender drogas nas áreas nobres do Distrito Federal e de repassar encomendas para traficantes do Ceará.

As investigações apontaram que o criminoso negociava drogas por meio de um aplicativo de troca de mensagens instantâneas, de acordo com o delegado Marciliano Ribeiro, da Delegacia de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD). O suspeito foi preso dentro do apartamento dele na Asa Norte.

“Ele atribuía o preço conforme a cotação do dólar. O que a polícia de Brasília nos passou é que tem registros a partir de anotação da agenda dele. Tudo ele usava como referência a moeda americana, o dólar”, conta o delegado.

Investigação no Ceará

De acordo com o delegado Marciliano Ribeiro, em julho deste ano a polícia prendeu dois suspeitos no Ceará por tráfico de drogas. Ele recebiam entorpecentes de Brasília via postal e revendiam o material no Ceará. O remetente declarava o material como petiscos para cães.

“Os dois aqui no Ceará encomendaram e receberam efetivamente drogas. Cigarros eletrônicos e haxixe, principalmente. E tinham uma atividade de tráfico aqui local destacando que o Marcos Vinícius [suspeito preso] fazia a divulgação desse tráfico dele através de mídias sociais. A droga chegou via postal, uma encomenda postal e a gente detectou que a remessa vinha de Brasília e o Marcos Vinícus utilizava um pseudônimo que não o identificada, obviamente, e colocava outro endereço que não tem nada a ver com o dele”, revela o delegado.

Apreensão

Na casa do suspeito, a polícia apreendeu 100 gramas de haxixe; 20 gramas de cocaína; 10 cigarros eletrônicos de maconha; 25 refis de cigarro eletrônico com essência e teor de Tetraidrocanabinol (THC); comprimidos de ecstasy e um revólver calibre 38 com quatro munições, além de uma balança de precisão, embalagens para drogas, tesoura, faca, celulares, notebook, bloco de anotações, agenda de contatos e um veículo.

Ele foi encaminhado para a sede da especializada em Brasília, onde foi autuado em flagrante pelo crimes de tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo. O suspeito já passou por audiência de custódia e teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.